domingo, 21 de abril de 2013

Prostitutas


 Em poucos meses, semanas, dias, já entendi toda a crônica da vida humana no capitalismo. E sei que é triste. Bem triste. Trabalhar, ter um dinheiro, ser escravo do mundo e da estética e da ética da massa, em troca de algumas moedas, um cartão de plástico, umas mínimas alegrias - cada vez mais fugazes e falsas -, tudo isso em troca de nossa VIDA.

          Eu e você, prostitutas do sistema, estamos perdendo nossas vidas, vendo dias e anos passarem a nossa frente, sem amor, sem oportunidade de sermos humanos, verdadeiros, reais. E isso apenas para podermos comer, sobreviver. Me sinto sufocado. Entediado. Quem pensa, e pensa muito como eu, deve mesmo sentir vontade de se matar, pelo menos umas três vezes por semana.

         Nada do que nesse mundo recebemos é compensador, pelo fato de que, o que estamos dando em troca - perdendo - é nosso tempo, nossa energia, nossa vida. Por coisas que não importam. Por mais dinheiro. Por um cargo superior. Por status. Por bens materiais. Por posições. Por poder. Por desrespeito. Por ganância. Por stress. Por mais trabalho. Por querermos passar por cima dos outros. Por desamor.

          Sim, porque POR AMOR É QUE NÃO É!

      Estou muito cansado de tudo isso, e acho que minha voz encontrará eco em muitos que, sinceramente, resolverem aqui se expor.

       Estamos perdendo nossas vidas, "correndo atrás" de coisas inúteis, deixando nossos sonhos, desejos, amores e vontades de lado - cada vez mais de lado -, em troca das esmolas do sistema. Lixo de vida. Merda de sociedade. Que alguém exploda tudo isso mesmo. Não aguento mais.


2 comentários:

  1. Costumo ter essas revoltas durante a semana.
    Compartilho os mesmos pensamentos que você sobre esse assunto!

    ResponderExcluir
  2. Você é muito rápido. Chega a conclusões sobre um sistema que esta ai a anos em tão pouco tempo!

    ResponderExcluir